08 março 2019

Sensor hidrostático FPC / Water Ingress Alarm System.



Em 2005, em nossa área profissional, percebendo a necessidade das diversas empresas de navegação nacionais operando no transporte de sólidos granulados - minérios, grãos, sal, etc..., desenvolveu um sensor específico para o atendimento das diretrizes das regras recém adotadas pela IMO.


Contratualmente, toda carga transportada por navios mercantes, deverá ser protegida contra água de chuva, ondas fortes, e água do mar entrando por algum eventual furo ou ruptura do casco da embarcação.
A qualidade da estanqueidade dos porões de carga deverá ser monitorada por sensores de nível integrados a um sistema de alarme (Water Ingress Alarm System  SOLAS XII, IMO Regulation 12, IACS UR S24, 46/18/1 and IMO DE46/18/2 performance standard for water level detectors & IACS UI SC180).
O problema é que devido à compactação da carga no fundo do porão, os sensores tipo boia magnética (reed switch) não funcionam. Os sensores de humidade do tipo condutivo não são eficientes para esta aplicação e devido a necessidades de realizar ajustes individuais para cada tipo de carga transportada, os sensores capacitivos também não servem bem.
Estudando o problema, após diversas considerações técnicas e testes, conseguimos desenvolver um sensor de nível on/off que é capaz de “sentir” a presença de água através da pressão hidrostática exercida pelo liquido independentemente da quantidade de carga granular armazenada no porão.
Detalhe:
Arranjo de instalação:
Na prática são instalados dois sensores em cada porão de carga. Um sensor de pré-alarme que fica a 0,5 metros do fundo. O outro sensor de alarme está a 2,0 metros.
Estes sensores operam como um pressostato ultrassensível, interligado ao processo por uma sonda de nível - um tubo flexível ¼” em Nylon com até 100 metros de comprimento. A sonda de nível é instalada verticalmente no porão de carga.
Um outro tubo de PVC 1, ½” cumpre as funções de fixação e proteção das sondas de nível.
Para facilitar a instalação, o tubo de proteção fica posicionado atrás da escada de acesso ao porão de carga - A escada também serve de proteção para o tubo de PVC.

Vantagens do sensor hidrostático modelo FPC:
§ Não utiliza partes mecânicas móveis;
§ São instalados no convés da embarcação, permitindo o livre acesso para manutenção independentemente da condição de carregamento do porão;
§ Os sensores hidrostáticos podem ser instalados numa distância de até 100 metros do ponto de medição;
§ O arranjo de instalação permite o teste real de funcionamento dos sensores independentemente da carga existente no porão do navio;
§ Pode ser também usado em silos ou em qualquer outro reservatório de contenção.
§ Fabricado no Brasil com tecnologia 100% nacional.
. . . 



Sistema WIAS confeccionado e instalado pela R3 Técnica
a bordo do NM Frotargentina (IMO: 7433658).


Sistema WIAS confeccionado e instalado pela R3 Técnica
a bordo do NM Frotargentina (IMO: 7433658).
* * * 

Veja também...

* * * 
A R3 Técnica é uma empresa brasileira especializada em soluções
para as áreas industrial / naval e de offshore.


* * * 



28 janeiro 2019

Telegrafo de Máquinas

Em uma embarcação marítima, os oficiais de náutica controlam o sistema de navegação do navio a partir da ponte de comando (passadiço) e os oficiais de máquinas controlam a instalação de propulsão da sala de máquinas
A ponte de comando está localizada bem acima da embarcação, portanto o oficial na ponte não sabe sobre a condição do motor propulsor bem como o oficial maquinista na sala de controle (CCM) não sabe para onde o navio está indo enquanto a sala de máquinas está situada abaixo da linha d'água do navio. Portanto, uma comunicação à prova de falhas entre o oficial de navegação (passadiço) e o maquinista (CCM) é necessária para garantir a navegação suave e segura do navio.
Como a palavra descreve, o telégrafo de máquinas a bordo do navio é usado como um dispositivo de comunicação para transferir ordens de mudança de velocidade ou direção do passadiço para a sala de controle do motor.
O telégrafo de máquinas é um equipamento de segurança obrigatório para embarcações.
Originalmente, o telégrafo de ordem do motor consiste de uma alavanca mecânica que pode ser movida em diferentes posições de velocidade para a direção dianteira (à vante) e traseira (à ré).
Telegrafo de máquinas

No início de 2018, um de nossos Clientes nos procurou, solicitando uma solução para o funcionamento de um telégrafo de máquinas em estado de obsolescência.

O telegrafo desta embarcação encontrava-se inoperante. Nenhuma tentativa de reparo foi bem sucedida devido a falta de disponibilidade de componentes de reposição.
. . .
Após alguns estudos, oferecemos um sistema confeccionado através de estações de comando localizadas no passadiço (mestre), sala de controle de máquinas e estações de emergência no motor principal e no controle do passo variável.
Cada estação funciona com uma IHM (Interface Humano-Máquina) 7”, LED, touch screen, full color,  sem partes móveis e grau de proteção IP-65. 

O equipamento exibe uma tela sinótica
representando as teclas de comando do telégrafo

A partir da estação mestre, ao tocar na posição desejada por um tempo superior a 0,5 segundos (esta característica evita o acionamento inadvertido ou acidental), a tecla correspondente piscará na cor amarela em todas as estações e o alarme sonoro será acionado.
A tecla permanecerá piscando até que a ordem seja aceita pela estação remota selecionada. Após a confirmação, a respectiva tecla passará a cor fixa verde e o alarme sonoro cessará.
A comunicação entre a estação mestre e as demais estações será realizada através de redes independentes Ethernet ou RS-485 MODBUS.


com duas estações...

Ou...

 com três estações...


Registrador de manobras:

O sistema desenvolvido conta também com o registro das ordens de comando e aceitação, realizadas em um banco de dados inviolável. O usuário poderá efetuar uma cópia (backup) destas informações utilizando um cartão SD ou pendrive comum.
Registrador de manobras

Indicadores opcionais:
§  RPM do motor principal.
§  Posição % do passo variável (pitch).
§  Pressão de ar de partida (c/ alarme de baixa pressão).

Estas informações também servirão para o alarme / bloqueio por discordância de direção – “wrong way”.


Outras características:
§  Atende ao SOLAS 74/88 Reg. II - 1/37;
§  Atendendo às regulamentações, o firmware foi confeccionado na língua inglesa, todavia o Cliente poderá optar pela apresentação dos comandos também em português BR (ou outro idioma à escolher).
§  Não possui partes móveis;
§  Equipamento desenvolvido por empresa brasileira, utilizando componentes com qualidade reconhecida e de fácil obtenção no mercado local;
§  Assistência técnica local garantida;
§  Fácil operação;
§  Excelente relação Custo X Benefício.

 * * * 

A R3 Técnica é uma empresa brasileira especializada em modernizar equipamentos e/ou sistemas considerados obsoletos ou fora de norma.

Consulte-nos, teremos prazer em ajudá-lo.




* * *